Bolsonaro admite dificuldade na articulação com o Congresso, mas poupa Onyx de críticas

  • Por Jovem Pan
  • 21/06/2019 15h16
Fátima Meira/Estadão Conteúdo"No primeiro momento, tivemos algumas mudanças nas funções que não deram certo", disse o presidente

O presidente Jair Bolsonaro reconheceu nesta sexta-feira (21) que o governo vinha enfrentando dificuldades na articulação política com o Congresso. Embora tenha passado nesta semana a articulação de Onyx Lorenzoni para o general Luiz Eduardo Ramos, que ocupa a Secretaria de Governo, procurou poupar o ministro-chefe da Casa Civil das críticas.

“Quando nós montamos aqui, no primeiro momento, por inexperiência nossa, tivemos algumas mudanças nas funções de cada um que não deram certo”, disse em entrevista coletiva no Palácio do Planalto. “Então, em grande parte, retornamos ao que era feito em governo anterior”, completou.

Nas mudanças promovidas por Bolsonaro, Onyx passou a ser responsável pela coordenação do Plano de Parceria de Investimentos (PPI), programa responsável pelas concessões de infraestrutura e por tocar privatizações. “Onyx está fortalecido com o PPI”, afirmou.

O novo ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, major da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) Jorge Antonio de Oliveira Francisco, detalhou, após o pronunciamento, como deve ficar a articulação agora. Segundo ele, a Secretaria de Governo, comandada por Ramos, fará a articulação do governo para fora. A Casa Civil, do governo para dentro, enquanto a Secretaria Geral vai ficar com a área de gestão.

*Com Estadão Conteúdo