Bolsonaro e Guedes são ‘best friends’, afirma general Heleno

  • Por Jovem Pan
  • 07/01/2019 15h05
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoGuedes foi um dos primeiros membros anunciados para a equipe de Bolsonaro, ainda na campanha eleitoral

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, negou que haja alguma “rusga” na relação entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, e afirmou que os dois são “best friends”.

“Não teve rusga nenhuma, nem carrinho por trás, nem tesoura voada, não teve nada. Hoje (7) de manhã se encontraram aí, ‘best friends’ [melhores amigos], não tem essa história”, disse o general ao ser questionado por jornalistas.

Heleno falou com a imprensa após a posse dos novos presidentes dos bancos públicos, no Palácio do Planalto, evento que foi marcado por trocas de afagos entre Bolsonaro e Guedes, após desencontro de informações ocorrido na sexta-feira (4).

O presidente e a equipe econômica fizeram declarações contrárias a respeito de um aumento no Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Anunciada por Bolsonaro, a medida foi negada pelo secretário da Receita Federal, Marcos Cintra.

Depois, com a confusão, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foi designado para resolver o problema: em entrevista coletiva, desmentiu o chefe do Executivo e disse que o aumento no imposto não vai acontecer.

Peso nas costas

Nesta segunda-feira, o ministro-chefe do GSI creditou o erro de Jari Bolsonaro à quantidade de informações que o presidente recebe. “Ele acaba ouvindo muita coisa sem ter tempo nem de conferir se o que ele ouviu está valendo ainda.”

Para o general, a confusão foi “fruto de uma primeira semana” no governo. “O peso em cima das costas do presidente é muito grande.” Para alinhar o discurso, toda a equipe econômica se reuniu com Bolsonaro, nesta tarde, em Brasília.

*Com informações do Estadão Conteúdo