Caso Adélio: autor de facada em Bolsonaro pode ter redução de pena devido a transtornos mentais

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2019 17h31
Divulgação/Assessoria de Comunicação Organizacional do 2° BPMAdélio Bispo, preso e indiciado por esfaquear Jair Bolsonaro durante campanha em Minas

O Ministério Público Federal em Juiz de Fora (MG) enviou um parecer nesta terça-feira (9) para a Justiça Federal em que concluiu que Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada em Jair Bolsonaro, é semi-imputável – ou seja, pode ser enquadrado criminalmente, mas com redução de pena devido a transtornos mentais apontados em laudos médicos. A informação foi divulgada nesta quarta (10) pela TV Globo.

De acordo com a emissora, a conclusão é do procurador do MPF em Juiz de Fora Marcelo Medina. O documento, mantido sob sigilo, levou em conta laudos e pareceres sobre a saúde mental do réu. O material vai embasar a decisão judicial sobre o caso.

Adélio está preso provisoriamente desde o crime, tendo sido transferido para o presídio de segurança máxima de Campo Grande dois dias depois.

Sobre a facada

O então candidato à presidência levou uma facada na região do abdômen no dia 6 de setembro do ano passado enquanto fazia campanha pelas ruas de Juiz de Fora. Ele sofreu traumatismo abdominal, teve lesões graves no intestino delgado e intestino grosso e precisou fazer uma cirurgia de emergência na Santa Casa local. Em seguida, foi transferido para o hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde realizou outro procedimento.

Em janeiro deste ano, voltou ao mesmo hospital para passar por uma terceira cirurgia, desta vez de retirada da bolsa de colostomia.