Dallagnol ainda não entregou celular para a PF, diz jornal

  • Por Jovem Pan
  • 14/06/2019 08h24
HENRIQUE BARRETO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAgentes entendem que o promotor esteja protegendo informações que ainda possam estar no aparelho

O procurador Deltan Dallagnol, responsável pela força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, ainda não entregou seu celular para a perícia da Polícia Federal, segundo o colunista Lauro Jardim, do Jornal O Globo.

O representante do Ministério Público está no centro de um grande vazamento de conversas envolvendo a si e ao ministro da Justiça, Sergio Moro. As mensagens foram divulgadas pelo site The Intercept no último domingo (14).

Segundo o jornal, os agentes entendem que o promotor esteja protegendo informações que ainda possam estar no aparelho.

Além de Dallagnol, pelo menos outras oito autoridades ligadas à Operação Lava Jato foram alvo de tentativa ou de invasão por hackers. Entre as vítimas estão juízes, procuradores e desembargadores. Há também registro de um jornalista que teve seu celular vasculhado por invasores.

Entre os magistrados que podem ter tido seus celulares invadidos, estão o desembargador federal Abel Gomes, relator dos processos da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2); o juiz Flávio de Oliveira Lucas, que atuou como substituto nas férias de Gomes; e a juíza federal Gabriela Hardt, que substituiu Moro na 13.ª Vara Federal de Curitiba entre novembro de 2018 e abril de 2019. Os procuradores são Thaméa Danelon, ex-coordenadora da força-tarefa da Lava Jato em São Paulo, Andrey Borges, Marcelo Weitzel e Danilo Dias.