Datafolha: para 57% dos brasileiros, golpe de 1964 não deve ser comemorado

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2019 12h13
Valter Campanato/Agência BrasilPolêmicas começaram quando o presidente determinou a comemoração do aniversário de início do regime

O jornal Folha de S. Paulo publicou uma pesquisa neste sábado (6) que mostra que o início do regime militar no Brasil não tem o apoio da maioria da população. Realizado pelo instituto Datafolha, o levantamento aponta que 57% dos brasileiros acreditam que o dia 31 de março de 1964, data do golpe, deve ser desprezado. Já 36% acham que deve ser comemorado. Outros 7% não souberam responder ou não quiseram opinar.

O desprezo à data, ainda segundo os dados da pesquisa, é maior entre os entrevistados mais jovens, mais escolarizados e mais ricos. Entre os brasileiros de 16 a 24 anos, 64% são contrários à comemoração. A porcentagem chega a 67% entre quem tem ensino superior e a 72% entre os de renda familiar mensal superior a dez salários mínimos.

Foram entrevistadas 2.086 pessoas de 130 municípios do país entre terça e quarta-feira. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança (chance de a pesquisa retratar a realidade) é de 95%.

Polêmicas

O aniversário de 55 anos do golpe militar causou polêmica no último dia 25, quando o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro havia determinado ao Ministério da Defesa as “comemorações devidas” do dia 31 de março. A orientação levou a Defensoria Pública da União e tentar barrá-la na Justiça.

Justiça Federal e Ministério Público Federal também recomendaram que os comandos militares se abstivessem de qualquer tipo de comemoração. Pouco depois, Bolsonaro se retratou alegando que a ideia era “rememorar” e não comemorar. “Rever o que está errado, o que está certo e usar isso para o bem do Brasil no futuro”, disse.