Doria anuncia parcerias e promete reinaugurar Museu do Ipiranga em setembro de 2022

  • Por Victoria Abel
  • 17/05/2019 14h38
MARIVALDO OLIVEIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOAlém das obras internas, os recursos anunciados serão utilizados para a revitalização do jardim e do entorno do edifício

O governador São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira (17) parcerias com 13 empresas para financiamento das obras do Museu do Ipiranga. No total, serão investidos cerca de R$ 160 milhões.

Segundo o governador, as obras terão início em setembro deste ano e serão finalizadas em janeiro de 2022. A inauguração do museu, no entanto, deve ocorrer no dia 7 de setembro de 2022 — quando será comemorado o centenário da independência do Brasil.

Além das obras internas, os recursos anunciados serão utilizados para a revitalização do jardim e do entorno do edifício, incluindo o Monumento à Independência.

Questionado sobre possíveis contrapartidas, o Secretário de Cultura, Sérgio Sá Leitão, explicou que as empresas vão usar tanto recursos de marketing quanto recursos incentivados pela Lei Rouanet.

Cada uma das companhias doará R$ 12 milhões para o projeto. Entre as patrocinadoras estão bancos, indústrias farmacêuticas, automotivas e mineradoras. Também doadora, a Sabesp, estatal paulista, comprometeu-se a recuperar o córrego do Ipiranga.

Além das 13 primeiras empresas parceiras, o governo espera atrair outras cinco que devem ser anunciadas nos próximos dias, totalizando 190 milhões.

Após a inauguração, o governo pretende triplicar o número de visitantes, passando para cerca de 900.000 por ano. Doria espera ainda que o museu seja sustentável do ponto de vista econômico. Para isso, estão previstas lojas, cafés e locações diárias para que o espaço tenha seu próprio rendimento.

O Museu do Ipiranga hoje é administrado exclusivamente pela Universidade de São Paulo (USP). O governo pensa em remodelar essa administração e fazer novas parcerias com fundações ou organizações sociais.