General Oswaldo Ferreira desiste de convite e não será ministro da Infraestrutura

  • Por Jovem Pan
  • 14/11/2018 20h47
ReproduçãoMilitar da reserva, Ferreira desistiu de pasta antes mesmo de ser anunciado oficialmente para o cargo

O general da reserva Oswaldo Ferreira desistiu de comandar o Ministério da Infraestrutura. O militar havia sido convidado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), mas não chegou a ser oficialmente anunciado. Com a baixa, o também general Jamil Megid Júnior passa a ser o mais cotado para a pasta – ele passou a integrar o grupo de transição na terça-feira (13).

Megid foi vice-chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército. Atuou ainda na segurança da Rio +20, na Copa do Mundo de 2014 e nos Jogos Olímpicos de 2016. A pasta de Infraestrutura vai unir as áreas de Transportes, Portos, Aviação Civil, ferrovias, saneamento, recursos hídricos e mobilidade urbana.

A superpasta ganhará estrutura para tocar obras que estão paradas, principalmente no Nordeste, além de incluir projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). É com essas obras no Nordeste que o governo Bolsonaro quer mudar o perfil da região, com a promessa de tirar foco do assistencialismo e partir para o desenvolvimento.

Infraestrutura não vai absorver Minas e Energia

O Ministério de Minas e Energia não será fundido e permanecerá independente, já que comanda segmentos estratégicos, como a grande estrutura da Petrobras, da mineração e do gás. Essa pasta deve ficar com o ex-secretário executivo Paulo Pedrosa, que perdeu o cargo em abril, com a posse do atual ministro Moreira Franco (MDB).

*Com informações do Estadão Conteúdo