Governo Doria anuncia que fará corte de cargos no dia 1º de janeiro

  • Por Victoria Abel
  • 07/12/2018 13h43
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOA equipe do governador eleito também prometeu extinção de estatais e uma cerimônia de posse simples

A prioridade no corte de gastos para o futuro governo estadual sairá do discurso e tomará forma logo no primeiro dia de gestão do governador eleito de São Paulo João Doria. Além de uma cerimônia de posse mais enxugada, Doria publicará em diário oficial no dia 1º de janeiro a exoneração de funcionários comissionados de secretarias e autarquias. O ex-prefeito se reuniu pela primeira vez com todos os secretários nomeados até o momento na manhã desta sexta-feira (7), no escritório da transição, em São Paulo.

O corte de cargos comissionados acontecerá em secretarias não prioritárias, conforme afirmou o vice-governador eleito Rodrigo Garcia, em entrevista coletiva. Segundo ele, se preservará um número maior de funcionários em áreas como educação, saúde e segurança. “São secretarias que do ponto de vista orçamentário e do ponto de vista de prestação de serviços terão todo o apoio do gabinete do governador.”

O vice-governador eleito também mencionou que já foram estudadas as estatais que serão extintas, mas não detalhou quais. Segundo ele, o anúncio será feito na próxima semana. “As estatais não serão vendidas, porque elas não tem valor de mercado. Elas apenas deixaram de cumprir um papel relevante para a sociedade civil e estão consumindo mais orçamento que o necessário.”

Durante a reunião dessa manhã, também foram passadas recomendações e informes aos secretários sobre o dia da posse. Segundo Rodrigo Garcia, a posse será mais rápida, simples e com menos formalidade. João Doria abrirá mão de batedores e cavalaria, por exemplo.

A cerimônia de posse acontecerá às nove horas da manhã na Assembleia Legislativa de São Paulo e às 10 da manhã o governador eleito segue para o Palácio dos Bandeirantes para acompanhar a posse do secretariado. Por volta do meio dia, João Doria embarca para Brasília, para assistir a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro.