Juiz convida Bolsonaro a depor contra Adélio Bispo, autor da facada

  • Por Jovem Pan
  • 05/06/2019 21h01
Fábio Motta/Estadão ConteúdoNa última semana, Savino decidiu que Adélio é “portador de Transtorno Delirante Persistente” e, por isso, inimputável

O juiz da 3ª Vara Federal, Bruno Savino, responsável pela ação penal de Adélio Bispo de Oliveira, acusado de esfaquear Jair Bolsonaro (PSL) durante as eleições de 2018, convidou o presidente a depor contra o réu.

Segundo o magistrado, Adélio e a defesa deverão formular em até 48 horas as suas perguntas, que serão transmitidas por ofício a Bolsonaro, que deverá devolvê-las até o dia 7 de maio, “último dia útil anterior à data da audiência de instrução designada para eventual oitiva das testemunhas de acusação”.

Na última semana, Savino decidiu que Adélio é “portador de Transtorno Delirante Persistente” e, por isso, inimputável, ou seja, não pode ser punido criminalmente. Com isso, se for condenado, ele deve ir para um manicômio judiciário e não para uma penitenciária. Até o julgamento, permanecerá no Presídio Federal de Campo Grande (MS) — que, segundo a sua defesa, tem “estrutura para o tratamento adequado” da doença.

O juiz afirmou ainda que o presidente pode escolher como prestar o depoimento.

“Na hipótese de preferir que o seu depoimento seja prestado na presença da autoridade Judicial, o assistente da acusação deverá ser intimado a, no prazo de três dias, indicar o dia, a hora e o local para ser inquirido, bem como dizer a forma por meio da qual deseja que o ato seja realizado, se por carta precatória ou por meio de videoconferência, rogando ao Excelentíssimo Presidente da República que o ato seja marcado para data anterior à da audiência de instrução, a ser realizada no dia 10/06/2019 às 14h”.

*Com informações do Estadão Conteúdo