Manifestantes fazem ato na Avenida Paulista em apoio a Lula

  • Por Estadão Conteúdo
  • 20/07/2017 19h43
Manifestantes de diversas centrais sindicais protestam contra as reformas do governo Temer em frente ao Masp

Manifestantes tomam as duas pistas da Avenida Paulista, na altura do Masp, para o ato em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo “fora, Temer”, “Diretas Já” e contra as reformas trabalhista e da Previdência. Eles já ocupam três quarteirões, até as proximidades do prédio da Fiesp.

O ato conta com dois carros de som e a presença de representantes da CUT, Sindicato dos Bancários, da UGT, PT, PCdoB e Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil. Foi exposta também uma enorme faixa com a inscrição: “Eleição sem Lula é fraude”.

Está prevista a presença do próprio Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff. A Polícia Militar informou que não irá divulgar a estimativa de público.

O presidente municipal do PT, Paulo Fiorilo, puxou um coro em homenagem ao ex-assessor especial da presidência, Marco Aurélio Garcia, falecido nesta quinta-feira, e a ex-primeira dama Dona Marisa Letícia. A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e o líder do MTST, Guilherme Boulos, chegaram no início da noite ao ato da Paulista.

O deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP) foi um dos primeiros a discursar e pedir para que “a população se organize para realizar uma série de manifestações no próximo dia 2 de agosto”. Nesse dia, precisamos tomar as ruas, fábricas e escolas para que o Congresso afaste o presidente Michel Temer”.

A organização do ato pediu, em determinado momento, uma vaia para o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) – já que a administração municipal, segundo os manifestantes, estariam filmando o ato. Doria foi chamado de “autoritário” e responsável por uma tentativa de “desmonte dos movimentos sociais da cidade”