Moro afirma que repudia ameaças a parlamentares em razão do vazamento de supostas conversas

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2019 18h38
Pedro França/Agência Senado"Sou um homem de paz, repudio qualquer espécie de violência e ameaças a quem quer que seja", disse

Após oito horas e meia de audiência para prestar esclarecimentos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, o ministro da Justiça, Sergio Moro, finalizou a sessão afirmando que “lamenta as ameaças que parlamentares estão recebendo”, como o deputado federal David Miranda (PSOL), marido do jornalista Glenn Grenwald, responsável pela reportagem do “The Intercept Brasil” que vazou supostas conversas entre Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol.

“Essas questões de ameaças e violências que parlamentares estão recebendo, como o deputado David Miranda e o senador Marcos Do Val [relator do parecer que defendia a manutenção do decreto de armas] eu repudio. Sou um homem de paz, repudio qualquer espécie de violência e ameaças a quem quer que seja”, disse.

O ministro afirmou ainda que “somos todos amantes da democracia, defensores do Estado de direito, contrários à práticas de crimes”.

Na audiência, ele respondeu diversas perguntas dos senadores sobre seu trabalho quando era juiz da Lava Jato, sobre as trocas das supostas mensagens e sobre segurança cibernética. Ao final da sessão, Moro pediu desculpas por ter se expressado mal ao dizer que “não sabia porque estava lá respondendo perguntas”. “Acho que me expressei mal, peço escusas, não foi esse o teor, tanto que me voluntariei para vir aqui.”

A presidente da CCJ, Simone Tebet, encerrou a audiência com o ministro agradecendo a participação de todos e lembrando que “o Senado fez jus à condição de ser a casa do diálogo e do equilíbrio”.