Mulher morre após levar tiro em ação da GCM na Cracolândia

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2019 12h49
WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDONo conflito desta quinta (9), a Guarda Civil Metropolitana ainda deteve seis pessoas que portavam entorpecentes e as encaminhou ao Departamento de Narcóticos

Uma mulher morreu após ser atingida por um tiro na cabeça durante uma ação Guarda Civil Municipal (GCM), na tarde de ontem (9), na Cracolândia, região central da capital paulista. Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para a Santa Casa de São Paulo, onde morreu por volta das 20h30, de acordo com informações do hospital. A mulher teria dado entrada na unidade sem identificação. Um homem também foi atingido, mas está fora de perigo.

De acordo com nota divulgada nesta sexta (10) pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana (SMSU), a Guarda Civil Metropolitana deteve seis pessoas que portavam entorpecentes e as encaminhou ao Departamento de Narcóticos.

O conflito teria iniciado no período da tarde, enquanto as barracas montadas no local pelos frequentadores do local estavam sendo retiradas. “A GCM foi recebida a tiros e pedradas pelos usuários. Dois guardas ficaram feridos e duas viaturas danificadas. Os GCMs foram liberados após atendimento médico”, diz a nota.

Segundo a secretaria, após realizar a dispersão para controlar o tumulto, os agentes perceberam que havia uma mulher ferida com um tiro na cabeça. Imediatamente, foi acionado o resgate do Corpo de Bombeiros, e ela foi socorrida à Santa Casa de Misericórdia. A ocorrência foi apresentada no 77º Distrito Policial.

O Coletivo A Craco Resiste disse que os conflitos ocorrem praticamente todos os dias, no momento em que é feita a limpeza no local. “Eles têm lonas montadas para vender objetos de uso próprio, como roupas entre outras coisas. A polícia tira essas lonas, porque diz que são usadas para o tráfico. Ontem quando foram tirar uma dessas, uma pessoa resistiu e começou o conflito. O que soubemos é que a moça que foi atingida foi pegar uma coisa no chão e levou o tiro”, disse a integrante do grupo Amanda Lordelo.

Agência Brasil