Na CCJ, Francischini ironiza petistas: ‘Falam de liberdade e processam o Gentili’

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2019 19h19
Marcelo Camargo/Agência BrasilSessões anteriores também foram marcadas por confusões e discussões entre deputados

Em resposta a mais uma tentativa da oposição de barrar a votação da reforma da Previdência, que acontece nesta terça-feira (23), o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Felipe Francischini (PSL), ironizou as deputadas que cercavam a mesa.

“Falam tanto de liberdade de expressão e processam o Danilo Gentili. Então vale para os outros, mas não vale para vocês”, disse.

Maria do Rosário (PT), Taliria Petrone (PSOL), Gleisi Hoffmann (PT) e Erika Kokay (PT) não concordaram com decisão dele e levantaram-se, iniciando um tumulto na Câmara. “Não deixarei começarem a vir aqui na frente, não permitirei”, retrucou Francischini.

Ele reagiu, ainda, à atitude de Maria do Rosário: “Não aponte o dedo pra mim porque não sou moleque. Sentem-se e controlem-se”, falou.

Mais cedo, o presidente já havia se irritado com as discussões durante a sessão. Em meio à gritaria dos parlamentares, chegou a pedir aos deputados: “Vossas excelências parem de urrar e gritar”, completando: “Isso daqui não é feira”. Ao citar Gentili, Francischini referia-se à condenação feita ao humorista pelo crime de injúria praticado contra a deputada federal Maria do Rosário (PT).