Odebrecht formaliza maior pedido de recuperação judicial da história do país

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2019 19h54
Germán Falcón/EFEO valor da causa chega a R$ 83,627 bilhões, que seria o valor do passivo sujeito à recuperação

A empresa Odebrecht S.A. formalizou, nesta segunda-feira (17), um pedido de recuperação judicial na Justiça do estado de São Paulo. O valor da causa chega a R$ 83,627 bilhões, que seria o valor do passivo sujeito à recuperação, o que tornaria o processo a maior recuperação judicial da história do país, superando a da Oi em 2016, de R$ 64 bilhões.

Deste valor, R$ 51 bilhões são de créditos concursais, excluídos os créditos entre as próprias empresas do grupo e créditos extraconcursais. Outros R$ 14,5 bilhões são compostos sobretudo por dívidas lastreadas em ações da Braskem e não passíveis de reestruturação.

A companhia declarou, em nota, que “tanto as empresas operacionais como as auxiliares e a própria Odebrecht continuam mantendo normalmente suas atividades, focadas no objetivo comum de assegurar estabilidade financeira e crescimento sustentável, preservando assim sua função social de garantir e gerar postos de trabalho”.

O pedido de recuperação judicial exclui as sociedades Braskem S.A., Odebrecht Engenharia e Construção S.A., Ocyan S.A., OR S.A., Odebrecht Transport S.A., Enseada Indústria Naval S.A., assim como alguns ativos operacionais na América Latina e suas respectivas subsidiárias.

Também estão fora do pedido a Atvos Agroindustrial S.A., que já está em recuperação judicial, e a Odebrecht Corretora de Seguros, Odebrecht Previdência e Fundação Odebrecht.

O grupo Odebrecht, que chegou a ter mais de 180 mil empregados há cinco anos, hoje conta com 48 mil. A Odebrecht atribui esse resultado à “crise econômica que frustrou muitos dos planos de investimentos feitos pela ODB, ao impacto reputacional pelos erros cometidos e à dificuldade pela qual empresas que colaboram com a Justiça passam para voltar a receber novos créditos e a ter seus serviços contratados”.

* Com informações da Agência Brasil