Pelo menos onze aeroportos estão sem combustível; Brasília já tem 40 voos cancelados

  • Por Estadão Conteúdo
  • 26/05/2018 09h14
Bento Viana/InframericaUm dos afetados pela greve, aeroporto de Brasília informa que adotou medidas emergenciais em razão da indisponibilidade de combustível de aviação

Último balanço da Infraero divulgado na manhã deste sábado (26) informa que onze aeroportos administrados pela concessionária estão sem combustível: Carajás, São José dos Campos, Uberlândia, Ilhéus, Palmas, Goiânia, Campina Grande, Juazeiro do Norte, Recife, Maceió e Vitória.

Decreto nacional, publicado no Diário Oficial da União, autoriza o emprego das Forças Armadas no contexto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) até o dia 4 de junho.

Em contato com atendimento do aeroporto de Congonhas, da zona sul de São Paulo, a reportagem foi informada que somente alguns voos estão atrasados, vindos de Brasília e do Rio de Janeiro. Porém, não há a informação exata se é por falta de combustível ou imprevisto da empresa aérea.

O aeroporto de Brasília informa que adotou medidas emergenciais em razão da indisponibilidade de combustível de aviação. A administração acrescenta que trabalha para diminuir os impactos do desabastecimento causado pela paralisação dos caminhoneiros. Em boletim divulgado por volta de 8h30, o aeroporto registrou 40 voos cancelados, 36 pousos e decolagens realizados e três voos atrasados entre a meia-noite e 8h desta manhã de sábado.Até o momento, 40 voos já foram cancelados.

A Infraero informa que aguarda a chegada de carretas dos fornecedores de combustível nesses aeroportos, mas no momento não há previsão de quando isso pode ocorrer. Passageiros devem verificar junto às companhias aéreas se os voos estão mantidos.