Polícia só esclareceu 4% dos crimes no estado de São Paulo em 2018

  • Por Rafael Iglesias
  • 03/12/2018 14h31
Divulgação/SSP-SPGoverno não justificou o baixo índice de produtividade policial na resolução de delitos

A Polícia Civil de São Paulo só conseguiu solucionar 4% dos crimes que mais preocupam a população neste ano. Dos 788.405 homicídios dolosos, estupros, latrocínios, roubos e furtos registrados no estado de janeiro a outubro, somente 32.150 foram esclarecidos.

Os dados de resolutividade foram obtidos pela Jovem Pan via Lei de Acesso à Informação. Já as informações sobre a quantidade de boletins de ocorrência são divulgadas todo mês pela Secretaria da Segurança Pública (SSP), que, questionada pela reportagem, não justificou os baixos índices.

Os roubos compõem a categoria com menor quantidade percentual. Apenas 3,6 de cada 100 casos foram solucionados este ano. O número inclui todos os tipos de roubo registrados em São Paulo: de rua, de veículos, de cargas, a residências, bancos, casas, ônibus, entre outros.

No total desse delito, foram 268.939 casos e apenas 9.753 esclarecimentos. Isoladamente, 3% dos roubos de veículos foram solucionados, enquanto o índice foi de 5% para os roubos de cargas. Aparecem com 42% os roubos a banco, que tiveram 21 boletins até outubro.

O esclarecimento de um crime não significa que o culpado foi efetivamente punido. Isso porque, na fase policial, basta a identificação do suspeito, por exemplo, para que o inquérito seja encerrado e remetido ao Judiciário, que toma as providências seguintes.

De janeiro a outubro, foram registrados 268.939 roubos no estado de São Paulo, mas somente 9.753 foram esclarecidos pela polícia

Assassinatos

Bandeira do governo estadual há pelo menos duas décadas, o combate aos homicídios dolosos – aqueles em que há intenção de matar – não se reflete na resolução: 52% dos casos ficaram sem esclarecimento até outubro.

Com queda de 9% de janeiro a outubro, esse indicador apresentou alta de 4% no mês passado no estado. É a primeira alta registrada no ano, segundo dados da SSP. Em setembro, o índice caiu 17%, patamar percentual ainda menor que o de fevereiro (20%).

Roubos seguidos de mortes

O crime com maior índice de resolução pela polícia é o latrocínio. Seis a cada 10 casos são esclarecidos. Esse tipo de crime deixou 234 vítimas este ano e já apresenta três altas consecutivas de agosto (15%) a outubro (35%). Em setembro, o total dobrou.

Estupros

Os estupros aumentaram em oito meses até outubro. No ano, a alta já chega a 11%, com 10.103 casos. Entretanto, no mesmo período, apenas 1.348 – equivalentes a 13% – foram solucionados. Assim, 8,7 a cada 10 crimes do tipo ficam sem punição.

Furtos

Delitos mais recorrentes em São Paulo, somente 3,9% dos furtos são esclarecidos. Este ano, a polícia resolveu apenas 19.743 de mais de meio milhão de casos. Apesar disso, o indicador está em queda. No ano, o total passou de 620.424 para 506.734 – 18% a menos.

Secretaria desconversa

Questionada sobre o motivo do baixo índice de resolução de crimes, a Secretaria da Segurança Pública afirmou, em nota, que “desenvolve diversas ações de políticas públicas, como investimento em tecnologia e aperfeiçoamento do trabalho policial”.

Sem apontar por que esses investimentos não tiveram resultados no trabalho policial de investigação e realização de flagrantes, a pasta destacou que São Paulo tem a menor taxa de homicídios do país. Atualmente, há 6,93 casos a cada 100 mil habitantes.

Novo secretário

O atual secretário da Segurança, Mágino Alves Barbosa Filho, vai deixar o cargo em janeiro. Titular do gabinete desde 2016, ele voltará ao Ministério Público. O governador eleito de São Paulo, João Doria, anunciou para o posto o general João Camilo Pires de Campos.