Prefeitura de SP planeja fazer parque no Minhocão até novembro de 2020

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2019 14h59
Reprodução/Instagram/@adriano_q_diasProposta da gestão Bruno Covas (PSDB) é abrir uma consulta pública para ouvir a população sobre a construção do parque

A Prefeitura de São Paulo começou a movimentar, nesta quarta-feira (15), o projeto de transformação do Elevado Presidente João Goulart, conhecido como Minhocão, em um parque linear suspenso. A previsão é que a obra esteja completa em exatos 591 dias, em 25 de novembro de 2020.

A proposta da gestão Bruno Covas (PSDB) é abrir uma consulta pública para ouvir a população sobre a construção do parque. O custo para desativar o complexo viário, instalar o parque e realizar algumas obras de diminuição dos possíveis impactos foi orçado em R$ 36,3 milhões.

O material publicado nesta quarta não traz o esboço do projeto do parque. É, segundo a Prefeitura, um projeto de apoio para todos aqueles que estejam interessados no tema – inclusive quem é contra a ideia – ficarem a par dos problemas projetados e procurarem maneiras de resolvê-los.

Os impactos previstos são significativos: na Rua Amaral Gurgel, abaixo do elevado, por exemplo, há a previsão de que a velocidade média dos carros na parte da manhã caia de 42,8 km/h para 27,3 km/h, embora o impacto para a cidade seja quase nulo, segundo o estudo – uma redução de uma média de 21 km/h para 20,9 km/h.

As sugestões da população sobre como fazer o parque serão registradas até o dia 14 de junho, em um sistema no site da Prefeitura. Depois, ao menos duas audiências públicas devem ser feitas até dezembro, quando o projeto final deverá ser formulado e apresentado. Cumprido o cronograma, a ideia é que as obras estejam em andamento antes do período eleitoral, quando o prefeito tentará a reeleição.

Com Estadão Conteúdo