Rapaz com boné do MST é agredido aos gritos de ‘Aqui é Bolsonaro’ no Paraná

  • Por Tawan Teixeira/Jovem Pan
  • 10/10/2018 15h00
Reprodução/Google MapsPrédio da biblioteca da universidade e Casa da Estudante Universitária foram depredados

Um homem de 27 anos foi agredido com chutes e golpes de garrafa na noite desta terça-feira (9), em frente à Casa da Estudante Universitária de Curitiba (Ceuc), moradia estudantil de alunas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), por supostos apoiadores do candidato à presidência da República Jair Bolsonaro.

De acordo com o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da universidade, os agressores gritaram “Aqui é Bolsonaro” enquanto atacavam o rapaz. Segundo testemunhas presentes do momento do crime, a motivação teria sido um boné do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que a vítima usava.

No post, o DCE também relata depredação ao prédio e à Biblioteca Central da universidade, que tiveram os vidros quebrados.

Em entrevista à Jovem Pan, a estudante de Relações Públicas Nicole Layla, moradora da casa, comentou as depredações. “A escadaria estava repleta de cacos de vidro. Quase quebraram a porta da minha casa, não conseguiram, mas quebraram vidros da biblioteca central”, disse.

Por volta das 19h, a Polícia Militar declarou ter sido acionada para atender uma ocorrência de briga entre “torcedores de futebol e estudantes”. Ao chegar ao local, a polícia detectou que a confusão já havia terminado e a vítima foi encaminhada ao hospital. O jovem foi liberado ainda na noite de terça, após receber atendimento.

A UFPR se manifestou através de nota e informou que a motivação da briga teria sido, na verdade, política e não esportiva. A instituição também disse que fez um Boletim de Ocorrência por danos ao patrimônio e que repudia atos de violência, de preconceito e de discriminação.

Confira abaixo o post do DCE:

URGENTE!Estudante da UFPR acaba de ser brutalmente violentado em frente à Universidade por membros de uma torcida…

Publicado por DCE UFPR em Terça-feira, 9 de outubro de 2018

 

*Texto sob supervisão de Amanda Garcia