Regras de trânsito propostas por Bolsonaro são rejeitadas pela maioria dos brasileiros, diz Datafolha

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2019 11h32
Marcos Corrêa/PREm junho, presidente entregou projeto de lei que pretende alterar regras do CTB

A maioria dos brasileiros não concordam com as as novas regras de trânsito propostas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), de acordo com uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (15) pelo Datafolha. Em junho, ele entregou ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), um projeto de lei com modificações no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), mas a população não aderiu à ideia.

Segundo a pesquisa, 41% dos entrevistados acreditam que alterações apresentadas pelo chefe do Executivo farão com que o trânsito fique mais violento. Para 20%, no entanto, as propostas de Bolsonaro tornarão o tráfego mais seguro e, para outros 36%, a situação do trânsito do país não irá mudar caso o CTB seja alterado.

Medidas

Entre as medidas propostas pelo presidente, a mais rejeitada pelos brasileiros é a que prevê o fim da multa para quem transporte crianças sem cadeirinhas nos veículos. Questionadas, 68% das pessoas afirmaram que não concordam com a mudança, enquanto 30% se disseram a favor. 1% declarou ser indiferente e 1% não soube opinar.

Sobre a retirada dos radares de velocidade nas rodovias, o número de pessoas que declarou ser contra também foi alto, de 67%. Apenas 30% disseram concordar com a medida , enquanto 2% não souberam opinar e 1% foi indiferente.

Em menor porcentagem, porém ainda sendo a maioria da população, 56% dos entrevistados são contrários ao plano de aumentar de 20 para 40 o limite de pontos da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Enquanto isso, 41% dos brasileiros afirmarem ser favoráveis ao aumento pontos máximos. 1% disse ser indiferente e 3% não souberam responder.

Pesquisa

O Datafolha ouviu 2.006 pessoas com mais de 18, em 130 municípios brasileiros, entre os dias 4 e 5 de julho. A margem de erro é de 2 pontos percentuais (p.p) para mais ou para menos, com nível de confiança é de 95%.