Sargento da PM é morto a tiros no Rio de Janeiro; é o quinto em 2019

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2019 12h22
Reprodução-Twitter PMERJCristiano Nunes da Costa é o quinto policial militar assassinado em 2019

O sargento Cristiano Nunes da Costa, de 44 anos, foi morto a tiros na Baixada Fluminense na manhã desta quarta-feira (30) durante um assalto. Costa é o quinto policial militar morto no estado desde o início do ano.

Durante um assalto na BR-465, próximo ao município de Nova Iguaçu, na baixada, ladrões interceptaram o veículo do sargento, atiraram contra ele e fugiram do local no carro roubado. Costa chegou a ser socorrido e levado para a UPA, Unidade de Pronto Atendimento, do bairro de Cabuçu, mas não resistiu aos ferimentos.

O sargento estava na Polícia Militar há 20 anos. Ele deixa esposa e dois filhos.

Quatro mortes

5 de janeiro

O soldado da PM, Daniel Henrique Mariott, de 30 anos foi morto na Linha Amarela ao tentar impedir um assalto em andamento.

#LutoO #GPFer lamenta a morte do Soldado Daniel Henrique Mariotti, após ação de abordagem e revista realizada pela…

Publicado por Grupamento de Policiamento Ferroviário – GPFer em Sábado, 5 de janeiro de 2019

7 de janeiro

Outro soldado, Miquéias Marinho Ribeiro, de 31 anos, foi assassinado a tiros na cidade de Japeri, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Ele deixava a casa dos pais pela manhã para trabalhar quando foi alvejado por homens armados que passavam de carro.

17 de janeiro

O cabo Rodrigues Marques Paiva fazia um lanche com a mãe em uma barraca de cachorro-quente em São Gonçalo quando foi alvo de disparos. A delegada responsável pelo caso, Bárbara Lombar, da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, investiga o caso como execução. Isso porque o local estava lotado e apenas o PM foi atingido por um homem que chegou a região em um carro acompanhado por uma moto.

23 janeiro

Ao sair de uma festa de aniversário em Belfort Roxo, na noite de quarta-feira, o cabo Francisco Fernandes Souza, de 38 anos, foi morto a tiros em frente a esposa. O cabo estava de folga quando foi assassinado. Tinha nove anos de corporação e deixa filhos.

*Com informações da Agência Brasil