Temer condiciona reajuste do Judiciário a fim de auxílio-moradia

  • Por Estadão Conteúdo
  • 30/08/2018 15h07
Agência BrasilPresidente disse ser "impossível manter o aumento e o auxílio"

O presidente Michel Temer (MDB) condicionou o aumento do Judiciário ao corte do auxílio-moradia e de “eventuais acréscimos que sejam incompatíveis com o aumento do teto”, disse, no Rio, nesta quinta-feira, 30.

Ao ser questionado por jornalistas sobre o possível reajuste de salários de ministros do Superior Tribunal Federal (STF), Temer disse ser “impossível manter o aumento e o auxílio”.

Segundo o presidente, é preciso calcular se existe “uma coincidência valorativa entre a eliminação do auxílio-moradia e o aumento que pleiteiam referente ao teto constitucional”.

Ao comentar o resultado do inevitável efeito cascata gerado pelo aumento, declarou que solicitou aos ministros que conversem com os juízes nos Estados.

“Eles têm um colégio de presidentes de tribunais de justiça. Então, disse: ‘vou pedir a gentileza dos senhores chamarem esses colégios e conversarem com presidentes dos tribunais para que também nos Estados sejam eliminados o auxílio-moradia e eventuais acréscimos que sejam incompatíveis com o aumento do teto’. Essas conversações começaram agora; se houver uma composição, poderemos fazê-la”.