Temer se apresenta na sede da Polícia Federal em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2019 15h01
Werther Santana/Estadão ConteúdoTemer teria até as 17h desta quinta-feira (9) para se entregar

O ex-presidente Michel Temer, que teve a sua volta para a prisão decretada nesta quarta-feira (8), se apresentou na sede da Superintendência da Polícia Federal nesta quinta-feira (9) por volta das 15 horas. Temer chegou em alta velocidade, acompanhado de seus advogados, e foi escoltado pelos carros dos agentes da PF.

O ex-presidente ficará recluso em São Paulo, conforme pedido do seu advogado, para que fique mais perto da família, além de evitar os custos de um eventual deslocamento para o Rio, onde ficou em março. No entanto, a PF comunicou que não poderá cumprir com o pedido de Temer de ficar em uma sala no Estado Maior e, por ora, ele ficará em um espaço alternativo adaptado.

De acordo com decisão da juíza federal substituta da 7ª Vara do Rio de Janeiro, Caroline Figueiredo, ele teria até as 17h de hoje para se entregar. Do contrário, seria preso. O coronel reformado João Baptista Lima Filho também teve determinado seu retorno para o cárcere.

Em entrevista na noite de ontem, o ex-presidente havia dito que iria à PF “com toda a tranquilidade”. “Vou me apresentar, não tenho nenhum problema com isso. Na primeira vez fui tratado com todo respeito na Polícia Federal. Quando o habeas corpus for julgado, vamos ver o que acontece”, disse.

A defesa de Temer entrou hoje com um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, para impedir que ele permaneça preso.

Sobre a decisão

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) determinou nesta quarta-feira (8) a volta do ex-presidente Michel Temer e do coronel reformado João Baptista Lima Filho à prisão. A corte acolheu, por 2 votos a 1, o recurso apresentado pelo Ministério Público Federal.

O ex-presidente e o Coronel Lima, apontado como operador financeiro dele, foram presos no dia 21 de março, na Operação Descontaminação. Eles foram soltos quatro dias depois. Temer e Coronel Lima foram presos no âmbito da Operação Lava Jato. As investigações apuram desvios nas obras da Usina Angra 3, da estatal Eletronuclear. Além deles, também foram presos o ex-ministro Moreira Franco e outras cinco pessoas. O TRF-2 manteve o habeas corpus de Moreira Franco e dos outros acusados.

A força-tarefa da Lava Jato acusa Michel Temer de chefiar uma quadrilha que desvia dinheiro público há 40 anos. Segundo o MPF, o grupo de Temer já desviou R$ 1,8 bilhão dos cofres públicos.