TJ-SP afasta funcionário da Fundação Casa após suspeita de estupro de interna

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2018 13h13
Reprodução/Google MapsSegundo o boletim de ocorrência do ocorrido, e que foi registrado como estupro no 57º DP, o crime ocorreu no dia 09 de maio, pela manhã

O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o afastamento de um funcionário da Fundação Casa após suspeita de que ele teria estuprado uma adolescente de 16 anos. Esta cumpre medidas socioeducativas, segundo informações publicadas no Diário da Justiça, nesta segunda-feira (04).

O caso está sendo investigado sob segredo de Justiça.

A juíza que avaliou o caso na primeira instância havia determinado que o suspeito não poderia ser afastado por estar em período de férias, entretanto, a Defensoria Pública entrou com recurso na segunda instância e o pedido foi deferido.

Desta forma, o TJ determinou que a Fundação Casa afaste o funcionário da unidade Chiquinha Gonzaga do contato com qualquer adolescente e jovens internados até que seja tomada a decisão final nos procedimentos da Corregedoria da Fundação Casa e do Juízo Corregedor.

Segundo o boletim de ocorrência do ocorrido, e que foi registrado como estupro no 57º DP, o crime ocorreu no dia 09 de maio, pela manhã.

Um agente de apoio de 45 anos teria mantido relações sexuais com uma adolescente de 16 anos da Unidade. Ainda de acordo com o B.O. a garota estava a caminho de uma consulta médica quando foi estuprada dentro de um carro pelo funcionário.

No boletim, a adolescente diz ainda que havia mantido “atos libidinosos” com o funcionário em outros momentos, mas de forma consensual.