Vale constrói barreira para rejeitos em Barão de Cocais; barragem pode se romper neste domingo

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2019 10h43
Divulgação/Terramil Terraplanagem"Essa obra atuará como barreira física no sentido de reduzir a velocidade de avanço de uma possível mancha", diz a mineradora

A Vale iniciou na última quinta-feira, 16, a construção de uma de um muro para contenção de rejeitos em caso de rompimento da barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, Minas Gerais. O Ministério Público do estado diz que a barragem pode se romper entre este domingo, 19, e o dia 25.

Na última sexta-feira, 17, a Justiça decidiu elevar o teto de uma multa aplicada à Vale para R$ 300 milhões e deu 72 horas para que a companhia apresentasse um “plano de ação“, que inclui estratégias para evacuação e resgate de vítimas.

A Vale informou que iniciou a terraplanagem para a construção a 6 quilômetros da barragem.

“Além dessa estrutura que, após concluída, fará a retenção de grande parte do volume de rejeitos da barragem Sul Superior em caso de rompimento, a Vale está realizando intervenções de terraplenagem, contenções com telas metálicas e posicionamento de blocos de granito. Essa obra atuará como barreira física no sentido de reduzir a velocidade de avanço de uma possível mancha”, diz a mineradora.

A empresa informa que, devido ao trabalho, haverá um aumento na circulação de caminhões e equipamentos pela cidade de Barão dos Cocais, o que poderá causar eventuais transtornos ao trânsito.

O Ministério Público determinou que a empresa comunique, “por meio de carros de som, jornais e rádios, informações claras, completas e verídicas” sobre a condição estrutural da barragem.

“A Vale ressalta que continua monitorando a barragem e o talude norte da cava de Gongo Soco 24 horas por dia e mantendo contato permanente com as autoridades competentes no sentido de prevenir e informar a toda a população sobre o andamento dos trabalhos e da situação da barragem Sul Superior e da cava de Gongo Soco”, acrescenta a nota.

A Vale realizou, no sábado, 18, à tarde, em Barão de Cocais, um simulado de evacuação dos moradores. Outra simulação foi feita em 25 de março, dois dias depois que a barragem chegou ao nível máximo de risco.

*Com Agência Brasil