Vale diz que já adotou ‘medidas preventivas para qualquer cenário’ em Barão de Cocais

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2019 14h16
Divulgação/Terramil TerraplanagemBarragem da mineradora segue sob risco de rompimento

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira (28), a mineradora Vale afirmou que já adotou “as medidas preventivas para qualquer cenário em Barão de Cocais (MG)” e que as últimas análises da movimentação do talude norte na cava da mina de Gongo Soco apontam para a maior probabilidade de um deslizamento do material para dentro da cava. Esta hipótese, segundo a empresa, diminui a possibilidade de impacto na barragem Sul Superior.

“Hoje temos mais elementos de análise sobre o comportamento do maciço, nos mostrando que está acontecendo um deslizamento para o fundo da cava. Com isso, há uma grande possibilidade do talude se acomodar dentro da cava, sem maiores consequências”, explicou Marcelo Barros, diretor de operações.

Mesmo que não haja ruptura com a queda do talude, a barragem Sul Superior permanece no nível 3. Por isso, a Vale e as autoridades realizaram simulados e a preparação das comunidades para todos os cenários.

“Todo os residentes das Zonas de Autossalvamento foram realocados, retiramos mais de 3 mil animais e transferimos peças de arte sacra para locais fora das ZAS”, afirmou Barros.

A empresa alegou ainda que não irá fazer obras na cava para evitar ter pessoas trabalhando no local e garantir a segurança de moradores e trabalhadores. As obras de contenção, por sua vez, continuam. A maior delas é a construção de uma espécie de bacia que, no caso de rompimento, ajudaria a reter parte dos rejeitos de minério. Além disso, estão sendo colocadas telas e blocos de granito para diminuir a velocidade do rejeito. Tanto o talude quanto a barragem são monitorados 24 horas por dia e as previsões são revistas diariamente.