Vale enfrenta nova ação bilionária por problema em barragem em Barão de Cocais (MG)

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2019 18h47
Reprodução/Google MapsO risco da barragem subiu para 3 em março

A mineradora Vale recebeu, nesta sexta-feira (3), mais uma nova ação civil pública, dessa vez por problemas causados à população de Barão de Cocais (MG). Entre os pedidos, estão indenização de R$ 100 mil por danos morais para os moradores que deixaram a área de risco, R$ 300 mil para quem tem imóveis na região e R$ 2 bilhões a título de danos morais coletivos para reconstituição dos bens lesados.

Para o Ministério Público, houve “reiteradas condutas abusivas e ofensivas a direitos humanos e fundamentais perpetradas na execução de atividades ligadas às barragens de rejeitos Sul Superior e Sul Inferior”, que fazem parte do complexo minerário Gongo Soco.

No dia 8 de fevereiro, 500 pessoas deixaram a cidade devido a uma ameaça de rompimento da barragem. Segundo a denúncia, isso mudou a rotina dos mais de 30 mil moradores de Barão de Cocais, que estão apreensivos desde então.

A situação piorou em 22 de março, quando o risco na barragem subiu para o nível 3, o maior no que refere ao perigo de rompimento. As sirenes voltaram a tocar e diversas medidas tiveram de ser tomadas no município, como a suspensão das aulas nas redes pública e privada.

Procurada para se manifestar, a Vale informou que ainda não foi notificada sobre os pedidos da promotoria. “Avaliaremos as medidas adequadas quando tivermos acesso ao teor”, esclareceu sobre a ação.

Em março, havia a possibilidade de ser construído um muro entre a barragem e a cidade, o que não aconteceu. Na ocasião, o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais afirmou que qualquer solução “não estava próxima de se tornar realidade”.

* Com informações do Estadão Conteúdo