Dólar abre em baixa após aprovação de MP do setor aéreo

A MP 863 ainda precisa ser aprovada pelo Senado nesta quarta-feira, para não perder a validade

  • Por Jovem Pan
  • 22/05/2019 10h50
Agência BrasilO dólar abriu a sessão desta quarta-feira (22) em baixa

O dólar abriu a sessão desta quarta-feira (22) em baixa após a aprovação da Câmara dos Deputados da MP 863, que libera 100% do setor aéreo ao capital estrangeiro. A matéria precisa ser aprovada pelo Senado hoje, para não perder a validade.

Ontem, líderes de partidos e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fecharam um acordo para votar nesta quarta a MP 870, que reestrutura ministérios. O encontro também revelou a tensão crescente entre o Legislativo e o Palácio do Planalto.

Maia anunciou na reunião que rompeu relações pessoais com o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO). O líder afirmou que considera a situação contornável, mas não disse se chamará Maia para conversar.

Já o porta-voz da Presidência da República afirmou que o líder do governo na Câmara tem “toda a confiança” do presidente para “executar as suas tarefas”.

Líderes partidários afirmaram, porém, que houve um rompimento institucional entre os dois. Nesta manhã, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e Maia voltam ao foco em um seminário sobre a Previdência em Brasília.

Para os agentes financeiros, a votação hoje da MP 870, que trata da reforma administrativa, é mais um teste para avaliar a capacidade de articulação do governo em meio a várias crises políticas.

Cenário internacional

No exterior, a aversão ao risco é retomada, após a trégua nas bolsas americanas ontem. O humor piorou depois de relatos de que a administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estuda impor restrições a outras empresas chinesas, de forma similar à Huawei, o que poderia azedar as relações com o gigante asiático em meio à guerra comercial.

Os mercados aguardam ainda a ata de política monetária do Federal Reserve (Fed) às 15 horas, enquanto monitoram informações de que há uma pressão para que o atual presidente do Bundesbank, o banco central alemão, Jens Weidmann, assuma a presidência do Banco Central Europeu (BCE).

Às 9h35, o dólar à vista tinha viés de baixa de 0,06%, a R$ 4,0455. O dólar futuro para junho subia 0,14%, aos R$ 4,0470. 8,60%, de 8,63% no ajuste anterior.

*Com informações do Estadão Conteúdo