Equipe econômica acredita que liberação do FGTS pode elevar PIB em até 1,1%

  • Por Jovem Pan
  • 18/07/2019 14h12
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilMinistério da Economia deve permitir que os trabalhadores saquem entre 10% e 35% dos recursos das contas ativas

A liberação de parcela das contas ativas do FGTS para os trabalhadores deve dar impulso à economia e pode garantir ao presidente Jair Bolsonaro um crescimento do Produto Interno Bruto acima de 1% no primeiro ano do governo.

A expectativa da equipe econômica é que os saques reforcem o PIB em 0,3 ponto porcentual, o que elevaria a projeção para 1,1% – mesmo nível registrado nos dois anos anteriores do governo Michel Temer.

Segundo modelos preparados para a liberação dos saques, o impulso ao crescimento pode ficar entre 0,2 e 0,4 ponto porcentual. Hoje, o governo trabalha com estimativa de crescimento de 0,81%.

Com a revelação na última quarta-feira (17) dos detalhes do projeto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, determinou à equipe que apresentasse duas propostas ao presidente Bolsonaro para que ele escolhesse.

A medida pode ser anunciada nesta quinta-feira (18). Segundo fontes, Guedes exigiu da equipe da Secretaria de Política Econômica (SPE), que elabora o programa, manter intocados os recursos do FGTS para a habitação. Com isso, o valor da liberação vai cair de R$ 42 bilhões para R$ 30 bilhões.

O Ministério da Economia deve permitir que os trabalhadores saquem entre 10% e 35% dos recursos das contas ativas do FGTS dependendo do saldo que possuem no fundo.

*Com Estadão Conteúdo