Paulo Guedes defende cortes de até 50% em verbas do ‘Sistema S’

  • Por Jovem Pan
  • 17/12/2018 18h51
Bruno Rocha/Estadão ConteúdoSistema S une entidades como o Sesc, o Senai e o Sesi

Paulo Guedes, futuro ministro da Economia do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), participou de um evento com empresários na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) nesta segunda-feira (17). Ao discursar, defendeu o fim de isenções e subsídios, inclusive ao Sistema S – que pode sofrer cortes em até 50% das verbas. “É a contribuição, como vamos pedir o sacrifício do outro sem dar o nosso?”, questionou.

Segundo informações do site do Senado, o Sistema S define o “conjunto de organizações das entidades corporativas voltadas para o treinamento profissional, assistência social, consultoria, pesquisa e assistência técnica”. Fazem parte o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai); Serviço Social do Comércio (Sesc); Serviço Social da Indústria (Sesi); e Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac). Existem ainda os seguintes: Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop); e Serviço Social de Transporte (Sest).

Também participaram do encontro o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e o governador eleito do estado, Wilson Witzel.

O futuro ministro disse ainda que também é necessário fazer uma reforma do Estado e garantir um novo eixo de governabilidade, com a retomada do pacto federativo, e “corrigir a hipertrofia do governo federal”. “Nós queremos recompor o federalismo, descentralizar recursos para os estados e municípios. Levem os recursos, levem as atribuições”.

*Com informações da Agência Brasil