Petrobras e estatal chinesa fazem parceria para investir no Comperj

  • Por Agência Brasil
  • 04/07/2018 11h48
Divulgação/PetrobrasParceria vai permitir o refino de óleo pesado produzido nos campos de Marlim, Voador, Marlim Leste e Marlim Sul

A Petrobras e a China National Petroleum Corporation (CNPC) assinaram carta de intenções para definir os ativos que deverão integrar a parceria estratégica das empresas para a conclusão da refinaria do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, e a participação da estatal chinesa em quatro campos petrolíferos na Bacia de Campos.

A parceria permitirá a utilização do Comperj para refinar óleo pesado produzido nos campos de Marlim, Voador, Marlim Leste e Marlim Sul.

Para a Petrobras, o acordo é importante não só para concluir a refinaria do Comperj, que foram interrompidas em 2015, com 80% concluídos, como para garantir novos investimentos e revitalizar os campos petrolíferos em questão.

Para a CNPC, a estratégia servirá para que a estatal chinesa tenha acesso a um projeto integrado com refino no Brasil.

As duas empresas são parceiras na área de Libra, primeiro contrato pelo regime de partilha de produção, localizada no pré-sal da Bacia de Santos, desde 2013. No ano passado, um consórcio formado pela Petrobras (operadora, com 40%), CNPC com 20% e pela British Petroleum (BP) com 40% de participação foi o vencedor para o bloco Peroba, um dos mais disputados do leilão.

A atual parceria foi firmada em julho de 2017, com a assinatura de um memorando de entendimento. As empresas estão trabalhando juntas para detalhar a parceria.