Presidente da Petrobras diz que empresa pode aplicar o aumento ‘quando achar importante’

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2019 20h21
Fernando Frazão/Agência BrasilPresidente da Petrobras disse que adiou o reajuste devido a ameaça de nova paralisação dos caminhoneiros

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou, nesta quarta-feira (17), que a companhia pode optar por aplicar aumentos “quando achar importante”. Segundo ele, nada impede que a estatal decida mudar a periodicidade dos reajustes. Nesta quarta-feira, foi anunciado que, a partir de quinta (18), o aumento do diesel será de R$ 0,10 por litro.

Castello Branco declarou, ainda, que o adiamento do reajuste na semana passada foi feito devido à ameaça de nova paralisação dos caminhoneiros. “Todos nós sofremos com a greve dos caminhoneiros (2018), foi com base nisso que sustei o ajuste”, disse. Ele ressaltou, também, que só vê greves desse tipo em países como Brasil e França, onde o refino é estatal. “Já reclamei da solidão no refino, sou contra o monopólio”.

Sobre os ruídos por causa da interferência do presidente Jair Bolsonaro na política de preços – que causou uma queda nos papéis da empresa -, Castello Branco disse que vai apresentar a proposta de venda de refinarias à diretoria-executiva e depois ao conselho na reunião de abril, e que isso vai “mostrar que a companhia não vai ter interferência externa”. Ele emendou que quem decide o tamanho do aumento é a diretoria de refino junto com o financeiro da empresa. “A palavra final é minha quando tem divergência”, completou.

Castello Branco deixou claro que o presidente não teve ciência prévia do novo reajuste. “O presidente soube agora do aumento. Não soube antes”, disse ao lembrar que, na semana passada, o chefe de Estado “não pediu nada, apenas alertou os riscos”.

* Com informações da Agência Estado