Governo dos EUA inicia campanha para prevenir tabagismo entre jovens

  • Por Agencia EFE
  • 04/02/2014 14h48

Washington, 4 fev (EFE).- O Governo dos Estados Unidos lançou nesta terça-feira sua primeira campanha de educação para reduzir o consumo de tabaco entre jovens, pois o fumo é a principal causa prevenível de doenças, incapacidades e mortes no país.

A campanha, realizada pela Administração de Alimentos e Remédios (FDA), chamada “O verdadeiro custo”, quer prevenir o consumo de tabaco entre os jovens e reduzir o número de adolescentes entre 12 e 17 anos que se tornam em fumantes frequentes.

Segundo a FDA, o consumo de cigarros e outros produtos derivados do tabaco causa mais de 480 mil mortes a cada ano e, todos os dias, mais de 3.200 jovens menores de 18 anos fumam o primeiro cigarro e mais de 700 se transformam em fumantes habituais antes de chegar a maioridade.

O esforço da educação pública está voltado para os cerca de dez milhões de jovens que nunca fumaram um cigarro, mas “podem considerar fazê-lo, e aos jovens que já experimentaram o cigarro e correm o risco de se transformar em fumantes frequentes”, resaltou a agência.

A comissária do FDA, Margaret Hamburgo, disse que “a intervenção antecipada é crítica, já que quase nove em cada 10 fumantes frequentes adultos fumaram seu primeiro cigarro até os 18 anos”.

E acrescentou que esta é “a primeira campanha educativa nacional de prevenção do tabagismo para os jovens” realizada nos EUA, para trazer à luz “os verdadeiros custos que mais preocupam estes jovens”.

A campanha “O verdadeiro custo” emprega técnicas multimídia integrais, com depoimentos convincentes e imagens, com o objetivo de mudar as crenças e os comportamentos.

Uma estratégia da campanha dramatiza as consequências de fumar para a saúde, descrevendo graficamente algumas delas, como a perda dos dentes e o prejuízo para a pele, para demonstrar que cada cigarro vem acompanhado de um “custo” maior que o meramente financeiro.

Outro aspecto da campanha apresenta a dependência ao cigarro como “uma perda de controle, que rompe as crenças dos jovens que pensam que não ficarão viciados ou sentem que podem deixar o vício a qualquer momento”, explicou a agência.

Os anúncios serão veiculados em mais de 200 mercados de todo os Estados Unidos, por 12 meses e a campanha custará mais de US$ 115 milhões, financiada com os impostos recolhidos da indústria do tabaco. EFE