Ministro alemão diz que suspeito por ataque veio do Paquistão e pediu asilo

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 20/12/2016 10h33
Berlim terrorismo

O suspeito de ser o autor do ataque com um caminhão que matou 12 pessoas em um movimentado mercado de Natal de Berlim na segunda-feira (19) veio do Paquistão e pediu asilo na Alemanha, afirmou o ministro do Interior do país, Thomas de Maiziere, nesta terça-feira (20). Segundo a autoridade, o homem detido nega envolvimento no incidente.

O suspeito entrou na Alemanha em 31 de dezembro do ano passado e chegou a Berlim em fevereiro. Segundo o ministro, o processo de pedido de asilo dele ainda não havia sido concluído.

O ministro falou que há uma investigação abrangente em andamento A chanceler Angela Merkel disse estar “profundamente entristecida” com o episódio, que segundo ela precisa ser visto pelo governo como um “ataque terrorista”.

De Maiziere disse que, até onde as autoridades têm conhecimento, o Estado Islâmico não reivindicou a responsabilidade pelo ataque “Há ainda muito que não sabemos sobre esse ato com suficiente certeza”, disse Merkel a repórteres em Berlim.

Autoridades prenderam o homem a cerca de 2 quilômetros do local do ataque, sob a suspeita de que ele estava no comando do caminhão. Segundo o jornal berlinense Tagesspiegel, ele já tinha passagem na polícia por delitos menores.

Entre os mortos estava um homem no caminhão. A polícia disse que ele era um cidadão polonês, mas não deu mais detalhes sobre ele por enquanto. O dono do caminhão é Ariel Zurawski, um polonês que disse temer que o veículo tenha sido sequestrado. Zurawski afirmou que o motorista era o primo dele e que ele tinha perdido contato com o parente horas antes do episódio.