Alinhada a Maduro, procuradoria da Venezuela abre processo contra Guaidó por ‘sabotagem elétrica’

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2019 21h15
EFELíder da oposição, Juan Guaidó se autodeclarou presidente interino da Venezuela em janeiro

A Procuradoria Geral da Venezuela, alinhada com o ditador Nicolás Maduro, anunciou nesta terça-feira (12) a abertura de investigação judicial contra o líder oposicionista e presidente interino Juan Guaidó por suposta ligação com ataque ao sistema elétrico que gerou um apagão elétrico nacional que se estendeu por quatro dias.

Chefe do Ministério Público, Tarek William Saab disse à imprensa que solicitou ao Tribunal Supremo de Justiça uma investigação contra Guaidó, presidente da Assembleia Nacional. Reconhecido por cerca de 50 países, Guaidó é acusado de “suposto envolvimento na sabotagem realizada no sistema elétrico nacional”, segundo o procurador.

Como parte das provas, Saab apresentou uma mensagem divulgada por Guaidó em conta no Twitter depois do início do blecaute, na quinta-feira (7): “A Venezuela tem claro que a luz chega com o fim da usurpação”, escreveu. O procurador-geral também disse que o líder opositor a mesma rede social para incitar a violência.

A ação movida pelo procurador-geral, ex-membro do partido governista, ocorre um dia após Maduro pedir ao Judiciário que atue contra os responsáveis pelos cinco ataques sofridos nos últimos dias ao sistema elétrico. Guaidó, por sua vez, disse que há uma tentativa para levar à Justiça um “processo de perseguição” contra ele.

Autoridades venezuelanas afirmaram que, nesta terça, o apagão ia diminuindo em algumas regiões do país. Ministro da Informação, Jorge Rodríguez disse que a energia estava quase completamente restaurada e que o serviço de água também estava voltando.

*Com informações do Estadão Conteúdo