Após polêmica, Trump envia sua “mais calorosa” saudação aos países africanos

  • Por EFE
  • 26/01/2018 12h18
EFE/Laurent GillieronPresidente dos EUA Donald Trump participa do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu nesta sexta-feira (26) ao seu homólogo de Ruanda, Paul Kagame, que assumiu a presidência temporária da União Africana (UA), que envie aos demais dirigentes africanos sua saudação “mais calorosa”, após a polêmica gerada por supostas declarações racistas.

Em seu segundo dia na estação alpina de Davos, na Suíça, Trump se reuniu com Kagame, a quem felicitou pela presidência da UA e também destacou as “excelentes relações” entre EUA e Ruanda.

“Sei que o senhor terá hoje sua primeira reunião da UA, assim que transfira (aos outros dirigentes) minha saudação mais calorosa”, afirmou Trump, que também disse ao presidente de Ruanda que “é uma honra tê-lo como amigo”, segundo a Casa Branca.

Trump não mencionou em nenhum momento a polêmica gerada por algumas declarações atribuídas a ele e nas quais supostamente chamou de “buracos de merda” várias nações africanas, junto com El Salvador e Haiti. Tampouco Kagame se referiu ao mal-estar causado por estas afirmações dentro da UA.

A União Africana e vários governos desta região tacharam de “racistas” os comentários atribuídos a Trump, e o antecessor de Kagame na presidência da instituição africana, Moussa Farki Mahmat, convocou a embaixadora americana nesta entidade, MaryBeth Leonard, para transmitir-lhe sua “indignação”.

Por outro lado, Kagame disse que seu país se beneficiou “tremendamente” do apoio prestado pelos EUA, especialmente no âmbito econômico, através do comércio e do investimento.

“Queria agradecer, presidente, seu apoio em nível pessoal e o do seu governo, e queremos trabalhar com os EUA na União Africana, na qual estamos impulsionando reformas para que possamos fazer as coisas de maneira adequada e agir de forma mais organizada”, destacou Kagame.