Cartas da II Guerra Mundial chegam a parentes de soldados russos após quase 80 anos

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2019 17h02
PixabayAs mensagens extraviadas foram encontradas na sede de um correio que ia ser fechado

Cartas de soldados soviéticos que combateram durante a Segunda Guerra Mundial começaram a chegar a seus familiares quase 80 anos depois de enviadas. A informação foi dada neste domingo (28) pela vice-presidente do Conselho de Veteranos da cidade de Chebarkul (sul da Rússia), Svetlana Kolodkina.

As mensagens extraviadas foram encontradas na sede de um correio que ia ser fechado.

“Encontraram as cartas no porão, quando na sede do antigo correio começaram a construir uma loja. No pacote havia 75 cartas enviadas em 1943”, relatou a Kolodkina à agência de notícias russa “Interfax”.

Segundo ela, levou uma semana para limpar os envelopes e as folhas de sujeira e poeira com a ajuda de escovas. Só então foi possível descobrir todos os endereços e dados dos destinatários.

“Decidimos procurar os familiares dos soldados. Criamos um grupo chamado ‘Carta do 43’ no Odnoklassniki (rede social russa), na qual há mais usuários mais velhos e publicamos a lista de endereços”, comentou. Além disso, Kolodkina informou que a lista foi publicada no jornal local.

A primeira resposta chegou do povoado de Bishkil, procedente da bisneta de um dos remetentes. Atualmente já foram encontradas 10 famílias que reconheceram seus familiares na lista.

“Hoje mesmo duas pessoas ligaram e disseram que são seus bisavôs, e querem vir buscar a carta”, indicou.

Por sua vez, a direção regional de Correios da Rússia expressou surpresa a situação.

“Agora é impossível determinar como essas cartas chegaram ao local onde foram achadas e por que não chegaram ao seu destino. Está claro que em tempos de guerra isto deveu ter acontecido por algum motivo muito sério. Possivelmente aconteceu algo com o carteiro”, declarou a porta-voz da direção, Svetlana Zamiatina.

Segundo Zamiatina, as cartas que não tiverem seus destinatários identificados serão entregues ao museu regional de história dos correios.

No entanto, Kolodkina indicou que o Conselho de Veteranos continuará realizando suas pesquisas até o dia 22 de junho, e só depois estas cartas serão entregues ao museu.

*Com Agência EFE