Co-piloto de 737 MAX da Lion Air evitou acidente um dia antes de queda

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2019 15h45
EFEInvestigação indica que voo realizado pelo Boeing no dia anterior também teve emergência

A investigação sobre a queda do avião Boeing 737 MAX da Lion Air, que deixou 189 mortos em outubro de 2018, indica que os profissionais que pilotaram o avião um dia antes do acidente evitaram um desastre.

O gravador de voz do cockpit (cabine do piloto) revelou uma “busca frenética” dos pilotos do voo Lion Air JT610, do dia anterior, por uma solução para a perda de altitude da aeronave.

Essa é a primeira vez que as informações do gravador de voz do avião foram tornadas públicas. Elas foram divulgadas pela agência de notícias Reuters.

Dois minutos após a decolagem, o piloto reportou à torre um “problema de controle de voo” e informou que manteria a altitude em 5.000 pés.

Os investigadores tentam entender como um dos computadores – um dos sistemas automáticos do Boeing – deu uma ordem para que o avião mergulhasse (termo utilizado para o movimento que a aeronave faz quando perde altitude e empina a parte frontal para baixo), em cumprimento de uma ordem dada por um sistema de sensor falho. Outra questão a ser analisada é se os pilotos tinham ou não treinamento para responder de forma apropriada à emergência.