Investigação da CIA conclui que príncipe saudita ordenou a morte de jornalista

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2018 16h35
Reprodução/FacebookCIA teria tido acesso a telefonema que o irmão do príncipe deu a Khashoggi

A novela da morte do jornalista Jamal Khashoggi acaba de ganhar mais um capítulo. De acordo com o jornal norte-americano Washington Post, a agência de inteligência CIA concluiu uma investigação que mostra que o assassinato teria sido ordenado pelo príncipe saudita, Mohammed bin Salman. O governo saudita, por outro lado, tem defendido que o príncipe herdeiro do trono não está envolvido no caso.

Esse documento, segundo a publicação, seria o mais definitivo até agora a ligar o homem forte de Riad ao assassinato – o que complica os esforços do presidente Donald Trump em preservar os laços entre os EUA e seu aliado mais próximo na região.

De acordo com a investigação, uma equipe de 15 agentes sauditas viajaram até Istambul em um avião do governo em outubro e mataram Khashoggi dentro do consulado saudita, onde ele tinha ido para providenciar documentos para se casar com uma mulher turca.

Sobre a investigação: telefonema confirmou suspeita

Para chegar a essa conclusão, a CIA consultou múltiplas fontes de inteligência, incluindo um telefonema que o irmão do príncipe herdeiro, Khalid bin Salman, o embaixador saudita nos EUA, deu para Khashoggi. Nessa conversa, Khalid disse a Khashoggi que ele deveria ir até o consulado e deu garantiras de que era seguro.

Não estava claro se Khalid sabia que Khashoggi seria morto, mas ele teria feito esse contato, de acordo com a CIA, sob orientação do irmão.

*Com informações do Estadão Conteúdo