Irã diz que não vai negociar com Trump; ministro fala em ‘jogo perigoso’

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2019 16h36
EFE"Você não pode ameaçar iranianos e esperar que eles se comprometam com você", disse Mohammad Javad Zarif

O ministro de Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, rechaçou a proposta de Donald Trump de conversar e disse que seu país não vai negociar com os Estados Unidos — a menos que Washington demonstre “respeito aos iranianos”.

Em entrevista à CNN, Zarif alertou que os EUA, ao aumentar a presença militar na região, jogam um “jogo perigoso“. “Ter todo esses ativos militares numa área pequena é propício a acidentes”, disse. “Extrema prudência é necessária e os Estados Unidos estão jogando um jogo muito, muito perigoso.”

Ele acusou os EUA também de serem os primeiros a deixar o Joint Comprehensive Plan of Action, ou JCPOA, o acordo de 2015 designado a limitar a capacidade nuclear do Irã em troca de aliviar sanções.

“Nós agimos com boa fé”, disse Zarif sobre o acordo, que foi assinado pelos Estados Unidos, Irã, Reino Unido, China, França, Alemanha e Rússia. “Não estamos dispostos a conversar com pessoas que quebram suas promessas.”

No início deste mês, Trump disse que o Irã “devia procurá-lo”, mas, no último domingo, 19, endureceu a retórica. “Se o Irã quiser brigar, esse será oficialmente o fim do Irã”, escreveu no Twitter. “Nunca ameacem os Estados Unidos de novo!”

Zarif respondeu: “Você não pode ameaçar iranianos e esperar que eles se comprometam com você. A maneira de fazer isso é por meio de respeito e não ameaças. Haverá consequências dolorosas se isso continuar, mas o Irã não está interessado em continuar.”

Em vez disso, Zarif pediu o fim imediato das sanções econômicas. “Nós só queremos vender nosso petróleo”, afirmou.