Mais de 400 mil crianças sofrem de desnutrição severa no Iêmen; 1,8 milhão têm desnutrição aguda

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2018 13h02
Almigdad Mojalli (VOA)De 29,3 milhões de habitantes, 1,8 milhão apenas de crianças está com desnutrição aguda

País do Oriente Médio, o Iêmen foi denunciado pela UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, pelas 400 mil crianças em situação de desnutrição severa. Além disso, o país tem, também, cerca de 1,8 milhão de menores de idade com desnutrição aguda, uma etapa anterior a severidade.

A desnutrição infantil no país está acompanhada, ainda, de situação política e social instável. Pelo menos 40% das crianças com desnutrição severa vivem ou estão em Al Hudaydah, região em que as forças do governo combatem rebeldes da etnia Houthi. A informação é do porta-voz da Unicef, Christoph Boulierac.

Para Boulierac cada segundo conta, “Enquanto estamos falando, a vida dessas crianças corre perigo”, disse. Já o porta-voz do PMA, Programa Mundial de Alimentos, Hervé Verhoosel, não há uma crise de fome no Iêmen, mas esse cenário pode se tornar realidade em breve. Para evitar que isso aconteça, ele se comprometeu a redobrar os esforços do PMA.

A primeira medida anunciada por Verhoosel foi o aumento da ajuda ao país de US$ 8 milhões para US$ 14 milhões. Ele explicou, ainda, que a ajuda aumentará gradualmente devido aos altos riscos envolvidos nas zonas de combate dentro do território iemenita.

A situação crítica no Iêmen

De acordo com a Unicef, pelo menos 70% das importações vitais e totais do país entram pelo porto situado justamente em Al Hudaydah. O esforço da ONU, neste caso, tem sido dialogar com as partes do conflito para que os portos não sejam fechados.

No país, a situação beira a calamidade. Dos cerca de 29,3 milhões de habitantes, mais de 22 milhões necessitam de algum tipo de ajuda humanitária. Além disso, pelo menos 17 milhões vivem em situação de insegurança alimentar.

*Com informações da Agência EFE