Milícias curdas avançam sobre último reduto do EI na Síria

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2019 17h06
EFEOs jihadistas ainda controlam duas cidades na margem oriental do rio Eufrates, Baghuz e Baghuz al Fauqani

As Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada liderada por curdos e apoiada pelos Estados Unidos, asseguraram, neste domingo (10), que arrebataram 41 posições do Estado Islâmico (EI) desde que iniciaram,no sábado, a ofensiva final contra o último reduto do grupo jihadista no leste da Síria.

As FSD avançaram “no eixo setentrional e ocidental em Baghuz” desde a tarde de ontem, “capturando 41 posições do EI e destruindo fortificações”, indicou em sua conta do Twitter um porta-voz das FSD, Mustafa Bali.

Além disso, afirmou que “combates violentos estão acontecendo dentro do último povoado neste momento”, depois de ter repelido às 4h (horário local, 0h de Brasília) “um contra-ataque do EI”.

Bali anunciou neste sábado que as FSD começaram a avançar em Baghuz, a última cidade que “se encontra sob o controle jihadista no norte da Síria”, após ter salvado mais de 20.000 civis das áreas dominadas pelos extremistas.

O porta-voz afirmou que a batalha contra o EI não terminará com a tomada dos últimos enclaves na Síria, mas seguirá até libertar milhares de mulheres yazidis “ainda escravizadas pelo EI”.

A minoria religiosa yazidi, uma comunidade que se baseia no zoroastrismo e está assentada no norte do Iraque há mais de 2.000 anos, foi um dos povos mais perseguidos pelos extremistas quando autoproclamaram o “califado” na Síria e no Iraque em 2014, assassinando e sequestrando milhares dos seus membros.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou neste domingo que centenas de famílias permanecem bloqueadas no reduto do EI e não puderam escapar para os territórios controlados pelas FSD.

Os jihadistas ainda controlam duas cidades na margem oriental do rio Eufrates, Baghuz e Baghuz al Fauqani, após ter perdido a maior parte dos territórios que dominavam no leste, nordeste e sul da Síria, tanto para as FSD como para o exército governamental.

*Com informações da Agência EFE