Notre-Dame: Polícia encontra bitucas de cigarro em andaimes onde incêndio começou

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2019 09h30
EFECatedral de Notre-Dame deverá passar por longa restauração após incêndio

A polícia francesa encontrou sete bitucas de cigarro nos andaimes de restauração onde começou o incêndio que devastou parte da Catedral de Notre-Dame de Paris no último dia 15. A informação foi revelada pelo jornal francês “Le Canard Enchaîné”.

Alguns operários que trabalhavam na restauração da agulha da catedral admitiram aos investigadores que, descumprindo as ordens de segurança, fumavam nos andaimes, acrescentou a publicação.

Mesmo assim, os investigadores trabalham com a hipótese de que o incêndio começou devido a um curto-circuito, segundo o jornal.

Nesse sentido, foram reveladas diversas irregularidades nas instalações elétricas, especificamente no cabo para alimentar um jogo de sinos que estava na agulha e outro sob a mesma, e que percorria a viga de madeira da catedral.

Esse dispositivo foi autorizado, de forma provisória, em 2012, a pedido dos clérigos de Notre-Dame durante as obras de restauração dos campanários principais, com o objetivo de eletrificar esses sinos para que os originais pudessem ser substituídos.

No entanto, segundo o “Le Canard”, este nunca foi substituído, continuava sendo utilizado e sobre ele foi instalado o andaime para a restauração da agulha.

Os investigadores determinaram que os sinos da agulha soaram no dia do incêndio às 18h04 local (13h04, em Brasília) para a convocação à missa prevista para essa hora.

Doze minutos mais tarde, houve o primeiro alerta de detecção de fumaça no posto de segurança da catedral e cinco minutos depois soou o primeiro alarme de incêndio.

Nesse momento, foi iniciada a evacuação dos fiéis, mas como os dois oficiais de segurança enviados a verificar as chamas não as encontraram, pensaram que era um falso alerta e pediram que os fiéis ficassem.

Segundo o jornal, os oficiais foram ao local errado para procurar o possível incêndio, uma informação negada pela empresa de segurança privada que administra o monumento.

Por volta das 18h30 (13h30, em Brasília) voltaram a soar os alarmes e, nesse momento, os fiéis foram evacuados e, entre dez e vinte minutos mais tarde, os agentes localizaram o incêndio na base da agulha.

Às 18h51 (13h51, em Brasília) os dois oficiais de segurança alertaram os bombeiros, que chegaram em aproximadamente dez minutos, mas quando o incêndio já tinha tomado grandes proporções.

A instalação anti-incêndios, afirmou o jornal, estava projetada para apagar um incêndio no início, mas com os atrasos registrados na localização do mesmo, se tornou grande demais.

Apenas com a chegada de reforços, equipados com mangueiras mais potentes, foi possível começar a lutar contra as chamas, embora tenha sido tarde para salvar a cobertura de Notre Dame.

*Com Agência EFE