ONU diz que venezuelanos devem ter status de refugiados

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2019 20h04
Reprodução/JPA situação no país se agravou a partir de 10 de janeiro, quando Nicolás Maduro decidiu iniciar um segundo mandato

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) afirmou nesta terça-feira, 21, que as pessoas que saem da Venezuela por causa da crise política e econômica devem ser tratadas como refugiadas. Cerca de 3,7 milhões de pessoas já deixaram o país.

“Devido a deterioração da situação política, econômica, de direitos humanos e humanitária na Venezuela, que até esta data viu o fluxo de venezuelanos que saem do país alcançar os 3,7 milhões de pessoas, a ACNUR considera agora que a maioria das pessoas que estão fugindo do país se encontra em necessidade de proteção internacional como pessoas refugiadas”, diz um informe publicado nesta terça-feira, 21.

A agência fez um apelo aos Estados para que permitam o acesso de venezuelanos a seus territórios e ofereçam a proteção adequada.

O informe indica ainda que, para certos perfis de venezuelanos em situação de risco, é preciso aplicar Convenção sobre o Estatuto dos Refugiados, de 1951, e ressaltou que, em todos os casos, eles têm necessidade de proteção internacional porque suas vidas e integridade correm riscos.

“Em qualquer caso, a maioria dos venezuelanos estão em necessidade de proteção internacional, de acordo com a definição ampliada de refugiados segundo a Declaração de Cartagena sobre Refugiados de 1984”.

A situação na Venezuela se agravou a partir de 10 de janeiro, quando Nicolás Maduro decidiu iniciar um segundo mandato de seis anos. A oposição e grande parte da comunidade internacional não reconheceu as eleições por considerar que houve fraude. O presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, então, se autoproclamou presidente interino do país.