Polícia diz ter evidências de que jornalista foi assassinado no consulado

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2018 17h30
EFEJamal Khashoggi foi visto entrando no consulado saudita, mas não há registros de sua saída

Nesta terça-feira (16), investigadores realizaram uma revista no consulado saudita em Istambul e, segundo uma autoridade turca de alto escalão, encontraram evidências de que o jornalista Jamal Khashoggi foi assassinado dentro do local. O funcionário falou sob a condição de anonimato, já que a investigação ainda está em andamento.

Imagens de vigilância que foram vazadas mostram que carros diplomáticos viajaram do consulado para a casa do cônsul (que acabou deixando o país) pouco depois do desaparecimento de Khashoggi, em 2 de outubro. Por conta disso, as autoridades agora se preparam para revistar também a residência.

A Turquia insistiu em fazer buscas no local desde o desaparecimento do jornalista e a autorização parece ter vindo depois de uma ligação entre o rei Salman e o presidente turco, Recep Tayip Erdogan, na noite do domingo. Em declarações após a ligação, ambos elogiaram a criação de uma investigação conjunta realizada pelos dois países.

Autoridades sauditas afirmaram que as acusações turcas de que agentes sauditas mataram Khashoggi são “infundadas”, mas a imprensa norte-americana sugeriu que os sauditas podem reconhecer que o jornalista foi morto dentro do consulado.

*Com informações do Estadão Conteúdo