Presidente interino da Venezuela não descarta anistiar Maduro para superar a crise

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2019 10h08
EFE"Não podemos descartar nenhum elemento, mas temos que ser muito firmes", disse

Juan Guaidó, presidente interino da Venezuela, disse em entrevista a uma emissora de TV estadunidense que não descarta anistiar Nicolás Maduro para superar a crise no país. Ele ainda pontuou que abraçará todos os setores, incluindo os militares.

“Coisas semelhantes aconteceram em períodos de transição: aconteceu no Chile, aconteceu na Venezuela em 1958. Não podemos descartar nenhum elemento, mas temos que ser muito firmes em relação ao futuro”, disse.

Guaidó é presidente do Parlamento venezuelano e, crítico ao mandato de Maduro, ele se autodeclarou presidente da Venezuela durante uma manifestação que reuniu milhares de cidadãos. Agora, a comunidade internacional se divide entre o apoio a ele e ao ditador.

Donald Trump (EUA) e Jair Bolsonaro (Brasil) estão entre os primeiros a reconhecerem a legitimidade de Guaidó como chefe interino do executivo venezuelano.

Questionado se sua declaração havia sido um “golpe de Estado”, Guaidó negou e garantiu que sua posição respeita a Constituição. “O que fizemos ontem foi abraçar a Constituição, assumir os poderes que ela nos dá precisamente para a cessação da usurpação que a Venezuela está passando para abraçar todos os setores, inclusive o militar, e ter uma eleição livre para poder definitivamente avançar rapidamente e superar esta crise”, garantiu.

*com informações da EFE