Rosto do cientista Alan Turing estampa nova nota de 50 libras no Reino Unido

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2019 10h19
REUTERS/Andrew YatesTuring, conhecido como pai da informática e da inteligência artificial, foi castrado quimicamente por seu homossexual

O rosto do cientista inglês Alan Turing, considerado o pai da informática e da inteligência artificial e conhecido por seu papel em quebrar códigos dos nazistas, estampará a nova nota de 50 libras no Reino Unido, revelou nesta segunda-feira (15) o Banco da Inglaterra.

Turing (1912-1954), cuja experiência pessoal motivou a promulgação em 2017 de uma lei de indulto a condenados por serem homossexuais, o que aconteceu com ele próprio, foi escolhido depois de uma consulta popular lançada em 2018 que recebeu 227.299 votos.

Entre as sugestões recebidas, que deveriam ser do campo da ciência, foram identificados 989 “candidatos elegíveis”, dos quais 12 finalistas foram selecionados e, entre eles, o governador do Banco da Inglaterra, Mark Carney, escolheu o vencedor.

Carney disse hoje em um ato no Museu da Ciência e Indústria de Manchester que o homenageado “foi um destacado matemático cujo trabalho teve um enorme impacto em como vivemos”.

“Como pai da informática e da inteligência artificial, assim como herói de guerra, as contribuições de Alan Turing foram extensas e inovadoras. É um gigante em cujos ombros agora muitos se apoiam”, declarou.

A nova nota entrará em circulação no final de 2021 e, além de um retrato do cientista tirado em 1951, mostrará aspectos da sua obra, como uma tabela e fórmulas de matemática extraídas das suas pesquisas sobre computadores.

Além de criar a teoria que levaria aos computadores modernos, Turing é conhecido por ter decifrado o código da máquina Enigma, usada pela Alemanha para suas comunicações seguras durante a Segunda Guerra Mundial.

Em março de 1952, o cientista foi condenado por suas relações com um homem em virtude da legislação da época e castrado quimicamente, o que teve um impacto fatal na sua carreira e na sua vida, que acabou com seu suicídio em 7 de junho de 1954, aos 41 anos.

Em 2017, foi aprovada na Inglaterra e no país de Gales a chamada informalmente de “lei Alan Turing”, que perdoa a título póstumo homens repreendidos ou condenados pela velha lei que criminalizava os atos homossexuais.

*Com Agência EFE