Sobe para 741 o número de mortos na África após a passagem do ciclone Idai

  • Por Jovem Pan
  • 31/03/2019 09h42
Agência EFE Após a passagem do ciclone Idai no sudeste da África, no último dia 14, subiu para 741 o número de mortos. A maior parte das vítimas fatais está concentrada em Moçambique, onde morreram 501 pessoas

Subiu para 741 o número de mortos na passagem do ciclone Idai pelo sudeste da África, segundo dados divulgados neste domingo (31). A tempestade atingiu Moçambique, Zimbábue e Malauí, no último dia 14.

Moçambique foi o mais atingido. Do total de vítimas, 501 foram só no país. Além disso, 840 mil pessoas foram afetadas. No Zimbábue, foram 181 mortos, e no Malauí, 59.

A ONU calcula que há mais de 1,5 milhão de pessoas afetadas nos três países e afirma que é especialmente preocupante a situação das mulheres que estão grávidas na região. Isso por causa dos casos de cólera que foram registrados após a passagem do Idai. Em Moçambique, por exemplo, foram confirmados 273 casos da doença — a maior parte, 271, está concentrada na cidade de Beira.

Passagem do Ciclone

Depois de castigar o Malauí como tempestade tropical, o Idai tocou a terra perto de Beira, em Moçambique, como um ciclone, no último dia 14. No dia seguinte, se moveu para o Zimbábue.

A área central de Moçambique ficou devastada. Conter o avanço do cólera e a possível expansão de outras doenças se transformou em uma das prioridades dos serviços de emergência e das equipes de ajuda humanitária.

Embora o acesso a essas áreas melhore a cada dia, ainda restam várias comunidades às quais é impossível chegar porque o terreno pantanoso não permite a aterrissagem de helicópteros.

*Com informações da Agência EFE