Apoiadores de Lula desmancham ‘Acampamento Marisa Letícia’ em Curitiba; vigília continua

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2018 13h49
Reprodução/Facebook/Frente Brasil PopularDe acordo com a organização do acampamento, corte de gastos, redução no número de apoiadores e ameaças foram os motivos

Os militantes acampados em um terreno em Curitiba, no Paraná, desde o dia 07 de abril, quando o ex-presidente Lula foi preso, desmontaram o acampamento Marisa Letícia. O local havia sido criado para protestar contra a prisão do líder petista.

De acordo com a organização do acampamento, corte de gastos, redução no número de apoiadores e ameaças foram os motivos.

Em comunicado, o grupo afirmou que “por medida de segurança” o acampamento seria desmontado. Segundo eles, já foram sete atentados, além de quatro processos judiciais e ameaças.

O acampamento ficava a um quilômetro da sede da Polícia Federal em Curitiba e foi desmontado no dia 1º de novembro, mas deve virar um projeto itinerante.

Enquanto isso, a Vigília Lula Livre, que ocupa um terreno em frente a Superintendência da PF, manterá suas atividades.

Seguimos no terreno particular alugado na frente da Superintendência da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida, reafirmando nosso direito à manifestação e livre expressão. A Vigília é o espaço que agrega organizações, militantes, apoiadores e simpatizantes da democracia, instalados em diferentes espaços de acolhimentos na região. Afirmamos, então, sobre o fechamento do acampamento Marisa Letícia, localizado há cerca de 2 km dali, que trata-se de um espaço que, desde o início, teve autonomia e coordenação própria. As nossas atividades da Vigília Lula Livre seguem normalmente”, traz a nota publicada no Facebook.