Beto Richa define prisão como ‘crueldade’ e diz que vai retomar candidatura ao Senado

  • Por Jovem Pan
  • 15/09/2018 10h34
Marcelo Camargo/Agência Brasil"Foram dias de extremo sofrimento", declarou

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) deixou o regimento da Polícia Montada, em Curitiba, onde estava preso, na madrugada deste sábado (15). Em conversa com a imprensa na saída do local, definiu sua prisão como uma “crueldade” e disse que vai retomar candidatura ao Senado nas eleições 2018.

“O que fizeram comigo foi uma crueldade enorme, não merecia o que aconteceu, mas estou de cabeça erguida e continuo respondendo todas as acusações sem a menor dificuldade”, declarou. “Foram dias, não posso deixar de reconhecer, de extremo sofrimento, pra mim e para toda minha família, e lamento que (tenha valor) a palavra de um indivíduo, de um delator, cujo histórico de vida não demonstra nenhuma credibilidade, ao contrário, total falta de credibilidade. Aí eu pergunto: vale a palavra dele ou a minha palavra?”.

“Vou retomar minha campanha e nós podemos voltar a falar em outro momento. Vou dizer aqui com muita clareza: entrei nesse regimento como homem honrado e saio daqui como homem honrado”, completou.

Richa foi preso na última terça-feira (11) em ação coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná. A esposa do político, Fernanda Richa, também foi presa provisoriamente.

A operação tem como objetivo investigar o envolvimento de funcionários públicos e empresários com a empreiteira Odebrecht no favorecimento de licitação para obras na rodovia estadual PR-323. A soltura foi determinada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes.

*Com informações do Estadão Conteúdo