“Hoje está comprovado que eu fui um vice decorativo”, afirma Michel Temer

  • Por Jovem Pan
  • 28/02/2018 18h00
EFERompimento de Temer com Dilma se tornou pública em 2015, com a divulgação de uma carta-desabafo do então vice-presidente da República

Em dezembro de 2015, numa clara demostração de descontentamento e um princípio rompimento com Dilma Rousseff, o então vice-presidente Michel Temer enviou uma carta a petista. O episódio ganhou grande repercussão na época, com o peemedebista dizendo que estaria perdendo “todo protagonismo político”.

Em entrevista ao 3 em 1, da Rádio Jovem Pan, desta quarta-feira (28), o agora presidente da República voltou a falar sobre o desabafo. Michel Temer disse que hoje está comprovado que ele realmente era um vice decorativo durante o governo petista.

“No governo da ex-presidente, eu não era ouvido. Sou obrigado a dizer. Aliás, você se recorda de uma carta que eu mandei e que foi objeto de gozação. Hoje está comprovado que eu fui um vice decorativo. Uma coisa que me incomodava”, revelou.

O presidente comentou que quando era vice de Dilma Rousseff, tinha dificuldade para se posicionar em relação aos equívocos cometidos pelo governo federal, mas que nunca perdeu a esperança de ver o Brasil novamente no caminho do progresso e da ordem, lema do seu governo.

“Diferente do que acontece nos Estados Unidos, onde o vice é próximo do presidente, aqui a ideia do vice-presidente é de que ele deve ser eliminado. Eu nunca tive uma interação com a senhora presidente. Ela era educada, eu sempre fui educado com ela. Nós tínhamos um bom trato pessoal, mas não profissional”, disse.

Análise do governo Dilma

Questionado sobre o governo de Dilma Rousseff, Michel Temer se limitou a dizer que a ex-presidente deu continuidade a política social de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, mas que cometeu diversos equívocos em relação a economia do país e não conseguiu encontrar uma solulção.

“As pessoas gostam de falar mal dos outros. A ex-presidente fala mal de mim, mas eu não gosto de fazer isso. Eu sou daqueles que veem o lado positivo das pessoas. E no caso dela, ela teve uma preocupação com o lado social, mas lamentavelmente foi um desastre na área econômica. Eu peguei o Brasil em uma recessão profunda”, concluiu.